ALEMANHA REGISTRA RECORDE DIÁRIO DE NOVOS CASOS DE COVID-19

Número de infecções em 24 horas chega a quase 34 mil e supera cifra de dezembro de 2020, quando país estava no auge da segunda onda da pandemia de coronavírus.

A Alemanha registrou nesta quinta-feira (04/11) um recorde diário de novos casos de covid-19 desde o começo da pandemia, superando a marca estabelecida em dezembro de 2020. O Instituto Robert Koch (RKI), a agência de controle e prevenção de doenças do país, contabilizou 33.949 novas infecções nas últimas 24 horas. Na quinta-feira anterior eram registrados 28.037 novos casos diários.

A notícia vem um dia depois de o ministro da Saúde, Jens Spahn, dizer que a Alemanha está vivendo em uma “pandemia de não vacinados”, e que a quarta onda do vírus chegou “com força total” em todo o país.

Diante de uma diminuição do ritmo do programa de vacinação da Alemanha em relação a outros países europeus, Spahn também alertou que aqueles que não desejam ser vacinados podem enfrentar novas restrições, como ser impedidos de entrar em lojas e restaurantes.

Dados recentes do RKI mostram que apenas 66,5% dos alemães estão totalmente vacinados, cifra inferior a de outros países da Europa Ocidental, como Portugal (88%) e Espanha (81%). Segundo uma sondagem recente, só uma minoria dos que não se imunizaram no país pretendem fazê-lo.

Pressão nos hospitais

Os hospitais também acusam um aumento da ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva, na maior parte por pacientes não vacinados contra o coronavírus.

Na quarta-feira, a taxa de hospitalizações por 100 mil habitantes nos últimos sete dias – estatística usada pelo governo alemão para monitorar a gravidade da pandemia – subiu para 3,62, de 3,29 no dia anterior. O recorde para a cifra ainda é de dezembro de 2020, quando esteve em cerca de 15,5.

Spahn tem agendada para esta quinta e sexta-feira uma reunião com os secretários da Saúde dos 16 estados da Alemanha. Principal assunto a ser debatido é a possibilidade de impor novas restrições. Os últimos meses foram marcados pela gradual volta à normalidade na Alemanha, com suspensão de restrições, embora a obrigatoriedade de máscaras continue vigorando em espaços públicos fechados.

Na reunião se deve discutir também a campanha de vacinas de reforço do país, que tem sido criticada pela falta de clareza sobre quem deve receber uma terceira dose e onde, e se isso deve ser feito em consultórios médicos ou se centros de vacinação devem ser reabertos, como propôs Spahn.

Preocupação da OMS

O Ministério da Saúde alemão também propõe testes compulsórios de covid-19 em estabelecimentos para idosos, enquanto os governos regionais querem apenas que os governos federal e estaduais “trabalhem no sentido de garantir a disponibilidade de uma gama suficiente de exames” nesses lugares.

O secretário de Saúde da Baviera, Klaus Holetschek, que preside a conferência, pediu uma dose de reforço para todos, não apenas para idosos e quem tem doenças pré-existentes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) expressou “grave preocupação” nesta quinta-feira sobre o ritmo crescente de infecções por coronavírus na Europa, diante do recorde de novos casos diários registrado na Alemanha.

“Estamos, mais uma vez, no epicentro”, disse o diretor da OMS para a Europa, Hans Kluge, em uma entrevista coletiva. Ele alertou que, de acordo com “uma projeção confiável”, a trajetória atual pode levar a “mais meio milhão de mortes de covid-19” em fevereiro.

Blog do Rosálio Daniel

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.