INFECÇÕES SEGUEM EM QUEDA NA ALEMANHA MAS VARIANTE PREOCUPA

Autoridades sanitárias registram menor número de infecções em dez meses. Mas políticos pedem cautela e sinalizam preocupação com a variante Delta e possíveis consequências após as férias de verão.

A Alemanha tem registrado uma queda contínua nos números de casos de covid-19. Pela primeira vez em dez meses o país contabilizou nesta segunda-feira (21/06) menos de 500 novos casos de infecção em 24 horas e a taxa de incidência de sete dias por grupo de 100 mil habitantes esteve abaixo de 10 contágios pelo terceiro dia consecutivo.

No entanto, apesar da queda no número de casos de covid-19, a reimplementação de medidas restritivas mais rígidas não estão excluídas na Alemanha. No momento, tem aumentado no país a preocupação sobre a variante Delta do novo coronavírus, uma variante originalmente registrada na Índia e considerada mais contagiosa. No Reino Unido, por exemplo, a variante Delta forçou o adiamento da fase final do desconfinamento, após um aumento de quase 100% em apenas uma semana no número de novos casos de infecções somente com mutação indiana – de 42 mil para 76 mil contágios.

“Estimo que a variante Delta seja a variante predominante na Alemanha dentro de um mês”, disse o governador do estado alemão de Hessen, Volker Bouffier, em entrevista à rede editorial alemã Redaktionsnetzwerk Deutschland (RND).

Bouffier não descartou o retorno de medidas anticoronavírus mais restritivas e afirmou que a questão seguinte a ser analisada deveria ser como as vacinas existentes reagem à variante Delta. Além disso, não pode ser descartado que muitas pessoas voltem infectadas das férias de verão.

De acordo com o ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, a atual fase da pandemia exige encontrar o equilíbrio correto, sem deixar de focar na variante Delta. “Agora podemos afrouxar”, disse Spahn na noite de domingo em entrevista à emissora pública alemã ARD. Porém, os ânimos devem permanecer contidos. “Portanto, mantemos confiança para o verão, mas também cautela, principalmente para o outono e inverno”, disse.

Oposição exige cronograma para os meses frios

Políticos da oposição exigiram um cronograma concreto do governo federal sobre como a variante Delta deverá ser combatida.

“O fracasso político que tivemos que vivenciar no ano passado devido à falta de filtros de ar nas escolas, ônibus e trens lotados e falta de proteção em locais de trabalho não pode se repetir”, disse a líder do grupo parlamentar do partido A Esquerda, Amira Mohamed Ali, em entrevista ao jornal alemão Die Welt. “O governo federal deve finalmente aprender com seus erros e criar as estruturas que permitam um bom outono e inverno.”

O especialista para temas relacionadas à saúde no Partido Verde, Janosch Dahmen, também pleiteou por medidas concretas para conter um estimado avanço da variante Delta. “Precisamos se consequentes e implementar regras rigorosas de quarentena para viajantes. E precisaremos usar máscaras constantemente em aglomerações públicas como em estádios de futebol”, afirmou.

Segundo Dahmen, as crianças não podem ser a classe negligenciada após as férias de verão. O governo federal necessita realizar os preparativos adequados, como a instalação de filtros de ar e impulsionar a digitalização necessária.

A Associação Federal dos Médicos do Serviço de Saúde Pública também pediu por uma boa preparação do país para uma possível quarta onda de covid-19. “Ninguém sabe se e em qual escopo haverá uma quarta onda. Mas quando vier, precisamos estar bem preparados. É muito importante que as autoridades de saúde consigam adquirir profissionais especializados adicionais rapidamente”, disse a presidente da associação, Ute Teichert, ao diário alemão Rheinische Post.

A chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, agradeceu nesta segunda-feira aos profissionais atuantes em instalações médicas por seu grande emprenho na crise do coronavírus. Médicos, enfermeiros e outros funcionários têm atuado há meses à beira de seus limites físicos e psicológicos.

Merkel enfatizou que a terceira onda de covid-19 foi dominada e superada. Segundo ela, o coronavírus não está eliminado, mas representa “um grande alívio” que o debate em torno dos hospitais não esteja mais concentrada apenas no gerenciamento de crises agudas.

Menor número de infecções em dez meses

Pela primeira vez em dez meses, as autoridades regionais de saúde relataram menos de 500 novas infecções em 24 horas ao Instituto Robert Koch (RKI), a agência governamental para o controle e prevenção de doenças infecciosas na Alemanha. Nesta segunda-feira, o RKI registrou 346 novos casos. A taxa de incidência de sete dias no país é de 8,6 casos por grupo de 100 mil habitantes – 8,8 no dia anterior, 16,6 na semana anterior e 67,3 no mês anterior.

Inicialmente detectada na Índia, a variante Delta foi detectada no Reino Unido em abril. No início de maio, representava cerca de 25% dos casos, enquanto em junho as novas infecções têm sido exclusivas da variante Delta. O RKI estima que a aproximadamente 6% das novas infecções registradas na primeira semana de junho na Alemanha estão relacionadas à variante Delta.

Ainda de acordo com dados do RKI, mais de 25,8 milhões de residentes – ou pouco mais de 31% da população da Alemanha – estão totalmente imunizados contra a covid-19. Pouco mais de 42 milhões de pessoas receberam ao menos a primeira dose.

Blog do Rosálio Daniel – DW Made for minds

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.